Vestidos para o dia-a-dia

1 nov

Estes modelos são ótimos para as atividades do dia-a-dia e serão bastante úteis para a dona-de-casa. São confortáveis, singelos e delicados; servirão para estar sempre digna perante a família. A mãe precisa prestar atenção para não relaxar na modéstia e na apresentação exterior dentro do lar, quando a tendência de nossos dias é vestir as roupas mais desleixadas. É importante para o marido e os filhos que a mulher cuide-se em todas as ocasiões, sem que isso signifique vaidade excessiva; ao contrário, é um apostolado!

Os modelos abaixo oferecem simplicidade. Podem ser feitos com tecidos de algodão em geral, como tricoline ou chifom de algodão (mais soltinho).

Comentário: considero este um ótimo modelo para a dona-de-casa executar suas tarefas, como cozinhar, deixar a casa em ordem, ensinar o catecismo aos filhos, enfim… para ser uma digna rainha do lar! Observe as pregas no corte da cintura e a escolha do estampado: muito delicado! Presenteie sua família com modelos como estes! Uma espécie de tricoline mais simples está custando em média (aqui onde moro, Salvador), cerca de 7,80 o metro. Para fazer um vestido com mangas até os cotovelos e que passe uns 15 cm dos joelhos, costumo comprar 1,5 metro.

Comentário: Reunião de pais e mestres na escola, uma saída às compras para as necessidades do lar: eis o teu modelo! Aumente as mangas na costureira. A estampa está sóbria e meiga ao mesmo tempo, o cinto arruma a produção na medida! Com acessórios verás como o quadro ficará completo! Coloca-se um belo pingente, brincos, uma bolsa não muito grande, com um sapato de pouco salto… muito bonito!

Comentário: este modelo, com botões na frente, combina com tudo! Mesmo aquelas que trabalham fora poderão tirar proveito deste clássico, que ficaria muito bom em tecidos lisos (cinza escuro, por exemplo) ou com outras estampas miúdas. Para a faculdade também é uma ótima escolha!

Comentário: um vestido de corte básico e liso… deixe-o um verdadeiro amor aplicando temas bordados! Em armarinhos é possível encontrar lindas flores (entre outros desenhos): custam barato e dão um toque todo especial. Só não pese muito na quantidade para não ficar infantil. Neste modelo, por exemplo, ficaria muito bonito se na parte superior houvesse outro aplique de rosas do lado oposto, o que dispensaria o restante. Mas este efeito de rosas “caindo” ficou interessante.

Comentário: este modelo reto tem um cintinho fino do mesmo tecido; os botões são daquele tipo de “encaixar” que se colocam em armarinhos com uma máquina manual (o serviço é barato, acho que 0,20 centavos por botão); se você não é magrinha, talvez fique melhor se o cinto não for tão fino (tiro por mim). Para as atividades do dia-a-dia – sobretudo fora do lar – este modelo é ideal, pois não sofre ação do vento, o que trará mais conforto quando estiver caminhando na rua (é grande o inconveniente de andar pela calçada segurando um vestido que teima em voar!).

Comentário: Teu vestido xadrez! Básico, bonito, ótimo para todas as atividades já citadas no post. Escolha o xadrez com cuidado, para não ficar infantil e nem com cara de vestido de São João! Esta cor marrom é uma boa opção. Evite os vermelhos e azul claro – são lindos, mas costumam infantilizar o vestido xadrez, ficando melhor em saias (se for vermelho sangue talvez fique mais agradável). Ele é muito parecido com o modelo anterior, mas a parte da saia é mais aberta.

Percebam como estes modelos  (em geral, não se encontram semelhantes nas lojas) já podem ser considerados próximos de um ideal que a moça deve ir formando para si, a medida em que vai aprendendo sobre a modéstia no vestir e arrumando seu guarda-roupa. Eles atendem as regras da moral; são delicados, simples, não chamam muita atenção para o que não deve, em suma: considero-os de muito bom gosto. Que para ti, mulher católica, eles sejam mais uma contribuição de beleza e recato!

Salve Maria!

About these ads

16 Respostas to “Vestidos para o dia-a-dia”

  1. Deise 1 de novembro de 2010 at 7:36 AM #

    Lindos vestidos.
    Luciana, por favor, poste modelos para mulheres grávidas também.
    Salve Maria!

    • lucianalachance 1 de novembro de 2010 at 7:50 AM #

      Salve Maria!
      Vou postar sim, vou separar uns modelos bonitos! Volte sempre e a Paz!

  2. Débora 1 de novembro de 2010 at 11:39 AM #

    Luciana,
    Salve Maria!
    Eu usaria alguns dos modelos pra sair de casa haha

  3. Ana Maria Nunes 1 de novembro de 2010 at 8:20 PM #

    O único vilão das roupas de uma dona de casa chama-se água sanitária ou taí ou cândida hehe, se bobear mancha na certa.

  4. Giselle 2 de novembro de 2010 at 11:02 AM #

    verdade Ana,eu prefiro usar luvas e avental pra não ter maiores problemas!aiiii dá até dó usar vestido tão lindo pras tarefas domésticas!
    Abraços a todas.

  5. Cynthia 2 de novembro de 2010 at 6:10 PM #

    Gostei do segundo modelo Lu! a flor é um jeito diferente de marcar, deu um charme a mais que só um cinto!

    Só não usaria com uma “bolsa não mt grande”, Adoro bolsões grandões!!!!!!!!!!!! =)

    O comentário da primeira foto me levantou uma dúvida, é boba, mas enfim…

    Na persença apenas do marido, a mulher não pode usar todo tipo de roupa? Digo isso porque eu AMO ficar de pijama quando to em casa, é a primeira coisa que faço quando entro em casa, independente da hora (à menos que tenha visita), é colocar pijama!

    E aí tem shortinhos, camisolas mais curtas…E calças tbm, para o frio…

    Entendo que o desleixo não é adequado, mas pijamas por exemplo, tenho uns que mais parecem roupa de sair, arrumadinhos.. Minha dúvida é quanto à modéstia mesmo, nessa situação, tem problema usar pijamas de shortinho, calças…?

    • lucianalachance 4 de novembro de 2010 at 10:53 AM #

      salve Maria!
      Cynthia,
      Penso que a mulher não pode usar todo tipo de roupa na frente do marido, e isto por algumas razões:
      Se a roupa é imoral, a mulher não deve usá-la nunca. Por exemplo: usar uma mini-saia dentro de casa. Alguém poderia objetar que isto não traria prejuízo algum, uma vez que no lar só estão presentes os filhos e o esposo, que conhecendo sua intimidade igualmente poderia vê-la em trajes assim. Em primeiro lugar, usar roupas imorais faz mal para a mulher; estar com um traje assim, caminhar pela casa, sentar no sofá…. lembremos que Cecy Cony era repreendida pelo Anjo da Guarda se estava em posição inconveniente dentro do quarto e sozinha! Em segundo, faz mal para os filhos ver a mãe assim, ou em qualquer outra roupa inadequada, vê-la vestir trapos, usar a roupa de dormir no dia-a-dia. O ambiente ajuda a moldar o caráter das pessoas – e como crescerá o filho cuja mãe passe o dia todo de camisola? Não achará que igualmente pode ter outros maus hábitos? Como mantê-los arrumados e asseados com tal espírito? Penso também que se a mulher desiste da calça por uma série de razões, deverá reconhecer que sua família (as pessoas mais importantes de seu convívio) precisam vê-la sempre de maneira digna, de modo que não vejo motivos para se achar que dentro de casa tais liberdades não trariam prejuízos. As calças para o frio devem ser usadas por baixo do vestido ou saia, de modo que não apareça. Não se trata , obviamente, de comparar o fato do esposo ver a mulher de mini-saia dentro de casa com aquela mulher que sai nas ruas com esta peça; mas a longo prazo, para a família, um hábito destes pode ser muito ruim – pode realmente criar a idéia de que dentro de casa a educação e os costumes são outros, o que fatalmente traz conflitos quando queremos ensinar uma série de coisas para as crianças (exigindo, dentro de casa, uma conduta exemplar).
      Fique com Deus e esteja à vontade para perguntar o que quiser!
      Paz

  6. Nani 5 de novembro de 2010 at 8:01 AM #

    Oi Luciana, gosto do ultimo modelo e estava pensando em mandar faze-lo, porém não queria que fosse xadrez, voce tem alguma sugestão para utilizar esse modelo porem com outra estampa?
    beijos
    Nani

    • lucianalachance 6 de novembro de 2010 at 9:04 PM #

      Salve Maria, Nani!
      Penso que é um modelo bom para fazer com estampas discretas e miúdas, sem cores fortes. A verdade é para um modelo assim é preciso ter muito cuidado em escolher a estampa. Você pode escolher flores, mas deve ter cuidado para as flores não serem muito grandes e nem deixar o vestido com cara de “infantil”. Penso em: bolinhas miúdas; flores pequenas em tons variados como: azul marinho, vermelho sangue, cinza (pois cores como rosa ou laranja poderão deixar o vestido com cara de criança mesmo). Pode fazer de listras não muito grossas, ou estampas abstratas DISCRETAS. Se eu achar sugestões boas aqui, mando para teu email!
      Abraço e Paz!

  7. Giselle 5 de novembro de 2010 at 10:36 AM #

    Salve Maria! Concordo Luciana, a intimidade do lar não deve permitir certas atitudes porque ali também devemos dar exemplo de modéstia e comportamento!De que adianta dar exemplo fora de casa se não se vive dentro de casa?Minha orientadora da congregação sempre disse: “devemos dar exemplo também dentro de casa, e a partir da casa”.
    E meninas, desculpem,é opinião pessoal,mas eu acho pijama muito feio,acordo e tiro na mesma hora,rsrs.
    Abraços a todas,
    em Jesus e Maria.
    Giselle.

    • lucianalachance 6 de novembro de 2010 at 9:07 PM #

      Salve Maria!
      Exemplos a partir da casa: com toda certeza! É onde passamos a maior parte do tempo, e onde formamos as consciências de nossas famílias. Deus sabe a importância de cada gesto dentro de casa: os exemplos dos pais são, para os filhos, mais eficientes que seus discursos!
      paz

  8. Cynthia 5 de novembro de 2010 at 8:08 PM #

    Lu, desculpe continuar enxendo seu saco, rs… Entendi a sua resposta e entendo a importância de usar esse tipo de vestido para ficar em casa e estar bem vestida.

    Mas continuo com uma dúvida ainda. Entendo que na frente dos filhos é inaceitável o uso de roupas que não sejam roupas modestas.

    Mas queria saber na frente exclusivamente do marido..O que exclui ficar o dia todo de pijama, é claro, já que o rumo natural do casamento é ter filhos. Mas em situação que esteja apenas a mulher e o marido, como fica a questão?

    É nessa questão que não entendo o erro de usar essas roupas, devido à intimidade entre os dois. Mas claro que deve-se arrumar para o seu marido, estar cheirosa, bonita, bem arrumada e não desleixada. Mas uma coisa influencia na outra?

    desculpe se estou enxendo o saco, rs.

    • lucianalachance 6 de novembro de 2010 at 8:51 PM #

      salve Maria!
      Cynthia, não me incomoda de maneira nenhuma suas perguntas. Apenas peço sua paciência para o caso de eu afirmar algo que você não concorde. Respondendo suas dúvidas:

      Penso que a esposa deve ser virtuosa e digna; dignidade esta que deve estar embebida em suas atitudes, em sua modéstia – e de tal modo que ela não conceba qualquer atitude deliberada que comprometa sua pureza de alma. Desta forma, quando me pergunta se a mulher estando a sós com o marido poderia usar uma roupa imodesta, penso que a mulher católica - que reza o terço, que se confessa, que frequenta os sacramentos, que quer sim (a despeito do mundo) ser santa - não conseguirá fazê-lo: vestir tal roupa será para ela como que uma fantasia, um disfarce.

      A objeção supostamente lógica que se levanta vai neste sentido: como é possível ser inconveniente que o homem veja sua esposa com roupa imodesta, se ele poderá vê-la da maneira mais íntima possível?
      A resposta: a intimidade é – para o marido e a mulher- uma coisa digna, ao passo que a roupa imodesta é indigna. Não se trata, portanto (no caso dos esposos) de que o marido vai estar vendo mais partes do corpo do que estaria autorizado a ver, mas sim que este marido vai ver sua mulher vestida de forma imodesta – vestida, aliás, da maneira como as católicas de boa índole repudiam; vestida como a própria esposa afirma ser errado: o contrário do apostolado que realiza!
      Claro que não se está aqui fazendo grandes celeumas se a esposa usará um vestido que não cobre seus joelhos na frente do esposo. Imaginar que a argumentação vai neste sentido é realmente um disparate! Mas imagino também que sua dúvida não tenha sido neste sentido – ou seja, que não tenha sido em questão de roupas imodestas com pequenas adaptações. Imagino que tenha me perguntado se na frente do marido a mulher poderia usar regata, por ex. (Quanto àquelas espècies de roupas comercializadas com o intuito de seduzir o marido da forma como uma meretriz faz, creio que todas as mulheres devotas de Nossa Senhora hão de concordar que melhor seria pendurar uma pedra no pescoço e se atirar no mar, do que imitar uma prostituta para seu esposo).

      Penso igualmente que a mulher não deveria usar roupas realmente imodestas na frente do marido – ou seja, nada de tomara-que-caia, camisetas, saias curtas. Como eu disse, não se trata dele estar vendo mais do que deveria (no sentido físico), mas sim que ele estará vendo a mulher reproduzir um esteriótipo combatido pelos dois! Pense comigo: eu e meu noivo fazemos apostolado pela modéstia; de repente nos casamos e eu começo a usar, dentro de casa, a mesma imagem que nós combatemos: começo a reproduzir e a me parecer com uma celebridade! Como eu pretendo que meu marido realmente repudie esta espécie de mulher, se eu – a mulher que ele mais admira e ama – me apresento ao esposo na maior parte do tempo exatamente como elas?? Entende o que quero dizer? Não me fará igualmente mal me vestir como uma delas? Que apostolado estarei fazendo para meu esposo, se obrigo ele a conviver com a imagem da mulher imodesta dos nossos dias; se obrigo ele a amar e respeitar em mim – exemplo de cristã – o que o mundo elegeu como padrão?

      Por estas e muitas outras razões (impossíveis de serem escritas aqui,) creio que não há motivos razoáveis para a esposa se apresentar ao marido de maneira imodesta. Pelo contrário! Talvez ela seja, para ele, a única oportunidade de conviver com outra espécie de imagem feminina; ela será para ele – no dia-a-dia – o alivio das milhares imagens imodestas que ele é obrigado a ver nas ruas e na publicidade; vê-la todos os dias e em todos os momentos de forma modesta, será para o marido alento e força para continuar nas virtudes.

      Espero ter ajudado.
      Fique com Deus! Sinta-se a vontade para dar sua opinião!
      paz

  9. Giselle 8 de novembro de 2010 at 11:51 AM #

    Salve Maria!Concordo com vc Luciana, especialmente quando diz: “Quanto àquelas espècies de roupas comercializadas com o intuito de seduzir o marido da forma como uma meretriz faz, creio que todas as mulheres devotas de Nossa Senhora hão de concordar que melhor seria pendurar uma pedra no pescoço e se atirar no mar, do que imitar uma prostituta para seu esposo)”
    Gente, tem católica que se presta a esse tipo de imagem e não vê o quão errado está,acho absurdo.
    Paz!

  10. Evelyn 10 de novembro de 2010 at 8:28 PM #

    O livro que deu origem ao seu outro blog, Luciana, logo de inicio diz que a mulher deve estar sempre bem vestida e arrumada para o marido – leia-se vestida e isso significa modestamente também. A importância? Você que se vestiu da melhor maneira no dia do casamento para seu marido, e a partir desse pertence a ele, por que não se arrumaria bem no dia a dia do sacramento? O bom cuidado da aparencia e da vestimenta, diz o padre autor, que conserva também o amor dos esposos. Que ser caprichosa e boa esposa não é só cozinhar bem e ser boa dona de casa e/ou mãe; mas também agradar o marido com a aparência física, nas roupas, na arrumação do cabelo…

    Até pensei: nossa, meio exagero isso… vou precisar ficar arrumada como saio com meu noivo dentro de casa quando casarmos? Mas não é assim… estar arrumada em tal ocasião não quer dizer estar arrumada pra sair.

    Bom exemplo disso são os vestidos que você postou acima.

    Salve Maria!

    ps.: falando no tal livro, estou transcrevendo-o: candelabrodeouro.blogspot.com

    • lucianalachance 10 de novembro de 2010 at 11:16 PM #

      Salve Maria!
      As três chamas do lar não é um livro precioso?
      Fiquei muito feliz com sua inciativa de transcrever, é simplesmente um bem de utilidade pública! Vou divulgar no meu blog.. estou um pouco sem tempo para atualizá-lo, mas realmente estou atolada para me formar! Este aqui só é mais postado porque são coisas rápidas que programo tudo de uma vez =) Mas eu amei mesmo seu blog e meu noivo também! Eu cheguei até a pensar – uns meses atrás – em fazer isso, mas para colocar em pdf.
      Deus lhe pague!

Este blog tem proteção contra comentários com conteúdo impróprio e palavras de baixo calão. Críticas só construtivas. Obrigada!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 6.463 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: