À procura da costureira

Todas nós sabemos das enormes dificuldades para encontrar roupas modestas nas lojas, de modo que torna-se realmente impossível mudar o guarda-roupa sem encontrar uma boa costureira que entenda nossos gostos e realize bem os serviços. Como haveremos de usar vestidos se esta peça feminina por excelência se tornou o que já discutimos aqui? Infelizmente, é raro que as lojas ofereçam opções modestas e belas de serem usadas; ademais está tudo tão caro nas lojas que já não é possível contar com elas senão nas coisas mais básicas. Por isso, para uma mudança verdadeira nas vestes, é preciso igualmente achar uma boa costureira.

É tarefa árdua! À primeira vista, parece-nos que nem existem mais costureiras no mundo!  Como é difícil achar o que não estávamos à procura, logo vemos que as opções surgem. Procura-se nos centros da cidade: é quase certo encontrar uma placa anunciando reformas e costuras. Nos anúncios o mais comum é encontrar quem se disponha a fazer vestidos de noiva e formatura, mas isto não significa que a profissional não aceite outras encomendas… o melhor, sem dúvida, é procurar entre conhecidos, que costumam nos atestar os defeitos e as qualidades do serviço.

Uma vez que encontramos uma costureira, no entanto, podem surgir os problemas – o que costuma desanimar algumas moças.  Convém falar das espécies de inconvenientes para que a leitora – uma vez que se depare com uma destas situações – não desanime a ponto de desistir da busca. 

1 – Que perguntas fazer à costureira antes de se decidir por experimentar seus serviços? Há enorme vantagem, não negamos, quando podemos consultar  alguém que já fez qualquer peça de roupa com ela, pois dessa maneira dá para observar os detalhes. Nada impede, no entanto, que se peça para ver o que ela tem no seu ateliê ainda por entregar às clientes. Considero indispensável a costureira fazer o molde para a roupa, por isso, certifique-se de que ela tira moldes. Se ela desconversar, dizendo que não costuma mais tirar moldes “já que agora tem tudo na cabeça, etc”, não aconselho a fazer teus vestidos com ela. Sobretudo se fará blazers ou casacos, sem um bom molde a peça fica ruim. Digo por experiência própria: perdi muitos tecidos e peças porque não eram feitos com moldes, mas cortados no “olho” ou por cima de outra peça que eu levava como exemplo. Claro que você pode levar uma saia para que ela faça outra no mesmo modelo, mas ela deve tirar um molde do mesmo jeito. Converse desta exigência com a profissional.

2 – Há costureiras boas e ruins, honestas e desonestas. A conversa inicial deve ser sem compromissos, isto é, vá a seu ateliê para um conhecimento preliminar e não para já encomendar a roupa. Você poderá observar se o ambiente que ela trabalha é organizado, como é o diálogo com outras clientes que por ventura apareçam, entre outras coisas. Não há uma “fórmula pronta” da boa costureira: as realidades são muito distintas. Geralmente elas trabalham na própria casa, ou sozinhas, ou com  ajudantes ou sócias, mas há aquelas que abrem em pequenas lojas de comércio. O fato é que julgar apenas pela aparência de “profissionalismo” não é garantia de bom serviço. No entanto, se você não conhece pessoalmente a costureira ou ela não foi indicada por alguém de confiança, aconselho a ir atrás das mais profissionais mesmo – ou seja, as que montaram um ateliê razoável. Isto porque é mais fácil de lidar e fazer certas exigências.

3 – Há duas grandes dificuldades em se achar uma boa costureira para fazer tuas roupas: a primeira delas é, obviamente, a qualidade do serviço. Ninguém quer andar por aí com roupas desalinhadas ou tortas! Fazer roupas modestas, isto é, longas, pode ser uma dificuldade para algumas profissionais (pela falta de costume). Infelizmente, esse ponto só é definido depois que você faz uma roupa com ela, apesar dos esforços iniciais de “sondagem”. E a medida que você vai encomendando outras peças (mais elaboradas, por exemplo) sua própria exigência vai subindo um pouco. Por isso, o mais provável é que a tua primeira costureira não seja a sua eleita – daí a necessidade da paciência nessa busca. A segunda grande dificuldade é o fato de que – lamentavelmente – muitas profissionais não respeitam os próprios prazos que estabelecem, de maneira que atrasam as encomendas, marcam e desmarcam provas… na conversa inicial convém discutir este ponto, numa tentativa de que estes problemas não sejam comuns.

4 – Se você não tem qualquer experiência em encomendar roupas, escolha modelos simples nas primeiras vezes. Isto é útil para você montar um novo guarda-roupa e também para ir aprendendo sobre o tema. Mesmo que você não tenha pretensão de aprender a costurar ou nada do tipo, se vai encomendar teus vestidos precisa entender um pouco do assunto. Isto significa que deve ir aprendendo a comprar os tecidos e demais itens para as peças; os nomes dos modelos; ter uma compreensão básica da peça, isto é, olhar para ela e poder descrevê-la: que tipo de zíper leva, os cortes onde são, etc. As roupas que encomendar não podem ser para ti como o alfabeto grego! Escolhendo primeiro os modelos básicos, pode ir testando os serviços da costureira: se ela não for capaz de entregar uma saia básica bem-feita, muito menos poderá fazer com vestidos elaborados. Uma saia reta, uma blusa de manga até os cotovelos, um vestido sem muitos detalhes: eis opções convenientes para se começar. 

5 – O preço costuma variar muito, e preço alto não é sinônimo de profissionalismo, embora há de se desconfiar de quem cobre muito barato. Por aqui, o comum é que se cobre R$ 20  por uma blusa básica; R$ 30-40 por vestidos do dia-a-dia; R$ 20 por uma saia simples. Tudo depende do modelo: quanto mais detalhes e maior for a dificuldade da peça, mais caro é o valor da mão-de-obra. Ainda assim, acredito que mandar fazer, na maior parte das vezes, compensa financeiramente. Em primeiro lugar, já compensa pelo fato de que realmente se escolhe as roupas no padrão que se deseja (o que não é possível comprando apenas em lojas). Em segundo, mesmo comparando os modelos que vemos nas lojas, pode sair mais barato mandar fazer. Em  lojas de departamento o preço de algumas peças básicas costuma ser muito caro: vejo muitas blusas sendo vendidas por R$ 60 ou mesmo 80! Vestidos, então, nem se fala: passam tranquilamente de 120 a peça! Por isso, comprando o material e pagando a mão de obra, ainda assim é capaz do valor total sair mais em conta (falando apenas em números, e não em benefícios).

6 – Comprar você mesma os tecidos que deseja para a peça faz toda a diferença. Deixar isso por conta da costureira – mesmo que ela apresente a nota fiscal – costuma trazer alguns problemas. As lojas de tecido não são um mar de opções, em que é possível encontrar exatamente aquilo que se deseja: isto significa que não há como exigir um tecido xadrez tal ou determinado tom de rosa, e depois culpar a costureira por trazer algo diferente. E nem são todas que aceitam fazer esta parte do serviço, uma vez que ir ás compras é trabalhoso: leva tempo (que será fatalmente cobrado no valor total). O que costuma ser deixado por conta da costureira são os itens de armarinho (botões, éclair), mas até estes eu aconselho que seja você mesmo quem compre. E ir ao armarinho é muito bom; você olha cada detalhe bonito para ser colocado numa blusa, num vestido; escolhe os botões que deseja… enfim, é útil para muitas coisas. Você pode mostrar o modelo para a costureira e perguntar a ela os nomes dos tecidos que podem ser usados, além dos outros itens que irá precisar. Isso evita que compre os tecidos errados, pois é comum que a moça sem muita experiência escolha na loja um lindo xadrez para um vestido tal – só que a textura do pano não permite que se faça aquele modelo, ou ele fica realmente muito diferente.

7 – Uma boa costureira saberá fazer os modelos que levar nas fotos. Quando se aprende a costurar bem, se aprende igualmente a tirar uma infinidade de moldes, de modo que a grande maioria dos modelos leva mangas de tipo tal; saias de tipo tal; e por aí vai. Isto é o básico do básico nos cursos de costura. Exatamente igual nunca fica –  porque seu corpo é outro, o tecido pode não ser rigorosamente o mesmo, etc. Mas deverá ficar semelhante: é o que deve ser o resultado final. Se a profissional não conseguir isso, infelizmente é melhor procurar outra. É muito chato quando levamos um modelo, especificamos como desejamos, mas a peça volta diferente! É este outro probleminha chato quando se encomenda: algumas costureiras não são profissionais, e são capazes de mudar arbitrariamente o que você pediu, seja no tamanho da saia, num detalhe. Haja esforço de nossa parte! O ideal é que ela anote seu pedido numa ficha, separando o modelo que levou na foto… mas quantas fazem isso, ou aceitam sugestões do gênero? Não é sempre que se pode “ensinar” o serviço de alguém, e há sempre o risco de ofender a pessoa com tantas exigências, porém… é melhor ser exigente. Isto mais evita problemas que atrai.

8 – Não vou enganar ninguém: encontrar uma costureira é difícil por todas estas questões, e muitas outras. Conheço amigas que encomendam roupas desde sempre, e volta e meia elas têm de mudar de costureira, pois enfrentam os mesmos problemas. Não quero que sirva de desânimo, mas é como achar um bom mecânico que não enrole seu marido, ou um encanador que não faça “armengues” na sua cozinha. Aliás, requer mais esforços. Claro, há quem tenha uma grande benção de acertar de primeira, mas o que tenho passado e escutado de outras, é nesse sentido. É preciso ânimo, afinal é inevitável que se encontre uma costureira para fazer nossas roupas, pois pior do que enfrentar essa maratona é enfrentar a outra: a busca por roupas modestas, em conta, e de bom gosto no mercado aí fora. Comece o quanto antes! Reze muito também a Nossa Senhora, para que favoreça neste caminho.

Todas estas etapas nos ajudam igualmente a perceber como uma mulher pode se esforçar no dia-a-dia para cumprir a vontade de Deus; ir sempre á costureira, fazer provas, comprar tecidos… é como a mulheres faziam antigamente, como nossas avós… sinto-me preparando uma receita a cada vestido que encomendo! Faço votos para que dê tudo certo na sua busca pela costureira! Se quiser dividir sua experiência comigo, fique à vontade, pois em verdade será útil também para as  moças ouvir outras opiniões e dicas. Não desistam até encontrar uma boa costureira… problemas surgem, mas com a santa paciência que Deus nos deu, havemos de superar! E logo verás como compensa ter tuas roupas modestas, teus vestidos, tuas saias belíssimas, tudo simplesmente único! Seu guarda-roupa será como um belo jardim, tantas cores serão introduzidas… de fato, quando finalmente acertamos, é impagável.

Salve Maria!

 

Anúncios

17 comentários sobre “À procura da costureira

    1. Salve Maria!
      Taiana, você chegou a ler os textos de moda praia do Moda e Modéstia antes do site sair do ar? Responda-me para que eu possa mandar para teu e-mail; de qualquer forma, poderemos conversar por lá. Quando você confirmar por aqui, lhe escrevo e poderei dar alguns esclarecimentos.
      Paz e Fique com Deus

  1. Nossa, minha experiência com costureiras sempre foram traumáticas, mas o dia que uma mulher roubou meu linho braspérola!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! e trocou por um brim, simplesmente deu um barraco! Muito desaforo! Isso foi na epoca de calças.

    Quando comprei os tecidos das minhas saias, a primiera costureira ficou com meu tecido lá 20 dias e nada!!

    Liguei para minha sogra para perguntar se ela conhecia alguém, aí ela se ofereceu, aceitei. Foi bom, a nossa relaçao melhorou. Ela anda tão boazinha comigo kkkkkkkkkkk coisa que nunca foi nos últimos 8 anos e meio!!! Está fazendo para mim uma colcha de patchwork, tadinha.

    1. salve Maria!
      Nem me fale… por isso eu digo: achar uma costureira é difícil! Muitas são enroladas! É impressionante como elas enrolam, eu achei que fosse mais aqui, mas depois que minhas amigas em São Paulo se queixaram das mesmas coisas, percebi que não estava só! Mas enfim… achá-la é preciso! rs…

  2. No meu caso, o único drama foi a minha avó aceitar a minha nova maneira de se vestir pra só depois eu conseguir convencê-la a fazer minhas roupas, hehe… Mas já tive experiências com ela, no passado, que não gostei. Eu tenho uma certa noção do que ela consegue e não consegue fazer, e acabo baseando as minhas decisões sobre os modelos nisso. Mas até agora ela só me fez 4 peças completas: 2 saias e 2 vestidos. Está com o tecido pra fazer mais uma saia. Quero ir comprando tecidos aos poucos pra ela ir fazendo e assim eu ir montando um guarda-roupas mais adequado.

  3. Muito bom seu blog! Muitas ideias para vestidinhos =)
    Eu tenho como costureira uma tia avó, mas tenho medo às vezes de poder sobrecarregá-la… Comecei a me aventurar na máquina em um curso e gostei muito! Espero em breve fazer meus modelitos…vamos ver o que é que sai! rsrs…
    Salve Maria!

    1. Salve Maria, Cíntia!
      Que bom que tem aproveitado o blog!
      Eu também comecei a me aventurar na costura, mas tive que parar… se Deus quiser, no ano que vem é para valer… é que estou meio sem tempo agora, mas eu quero aprender de verdade!
      Volte sempre!
      paz

  4. Salve Maria!
    Luciana, ótimo texo, nossa minha costureira é minha mãe, é uma briga pra ela querer fazer os vestidos com manga e as saias longas, ela simplismente não aceita, é como você disse no outro texto que as pessoas se assustam com pouco, ela acha um exageiro, tem tecidos que comprei a mais de um ano e ainda não deram em nada, essa semana eu comecei a me aventurar hehe, tô pensando em entrar num curso também… O problema com a minha costureira hehe é que ela é costureira da mulher moderna: calça é fácil fazer, saia e vestido não é coisa de mulher moderna!

  5. Alguém sabe dizer se o curso a distância de corte e costura do Instituto Universal vale a pena?

    Com a proximidade do meu aniversário decidi pedir algo realmente útil aos meus pais… eles vão achar estranho, mas vou investir numa máquina de costura… quem sabe minha mãe não me doa a dela? rsrs

    Andei vendo uns cursos e vi esse, que até tem um bom preço. Tirando os módulos ‘calça feminina’ e alguns outros poucos, achei adequado.

    O que me dizem?

  6. ola eu moro no entorno de brasilia em valparaiso go e preciso muito de uma costureira pois nas lojas aki nao tem sutian que me sirva se vc puder me ajudar me indicando algumas aki perto eu vou agradeçer muito a vc

    obrigada! meu email entre em contato cmigo se vc puder.

Este blog tem proteção contra comentários com conteúdo impróprio e palavras de baixo calão. Críticas só construtivas. Obrigada!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s