Indo à costureira: uma conversa inicial

Salve Maria! Esta semana, como anunciado, faremos uma semana dedicada à ida na costureira, para aquelas que desejam encomendar as próprias roupas modestas! Pensei nesta semana como uma forma de ajudar as moças e senhoras a darem o passo inicial nesta busca, pois não poucas adiam este momento por falta de conhecimento. E é preciso dizê-lo: encomendar as próprias roupas é como adquirir uma nova habilidade, pois requer conhecimento e prática. Assim como a moça aprende a cozinhar, bordar ou pintar, ela também aprende  a encomendar as próprias roupas, se assim está disposta, por interesse próprio.

Dizemos isto porque de fato é assim. A moça pode não costurar a peça, mas ela é responsável por boa parte do resultado final: a escolha do modelo, o tecido, as cores… a primeira coisa honesta a ser dita é que não é fácil. Não é tão simples quanto olhar um modelo, comprar o tecido indicado… e pronto! Tudo está resolvido! Não: de sua parte, há algumas coisas a serem providenciadas, da parte da costureira, está o trabalho a ser realizado. E a moça nunca sabe direito como vai sair o trabalho, mesmo quando já se “testou e aprovou” a profissional. Cada peça é única. 

Se a ida na costureira se tornará uma rotina na sua vida, convém aprender algumas coisas básicas: começamos por esta conversa informal, que será importante para desfazer alguns “mitos”, e esclarecer outros pontos. 

1 – Por que vou me tornar uma destas mulheres que encomendam as próprias roupas?

Essa é a primeira pergunta a ser feita. Acredite: sem um bom motivo e força de vontade para encomendar as próprias roupas, não irá compensar. Quer dizer, não estou aqui sugerindo que você mande fazer seus próprios vestidos e saias longas porque é economicamente mais vantajoso. Pode ser que não seja. Boas costureiras podem cobrar, pela mão-de-obra, mais do que custa um vestido simples nas lojas de departamento. Então, vamos admitir que você não está comprando aqueles vestidos na C&A porque eles são muito feios, mas sim porque eles são curtos, e porque quase todos os vestidos vendidos nas outras lojas são igualmente curtos ou problemáticos em outras partes. 

A minha resposta para esta pergunta é: “porque eu quero me vestir com modéstia e não encontro opções viáveis nas lojas”. Qual é a sua? Deseja ter apenas uma ou outra saia mais longa? Então não será tão difícil. Mas se deseja ter um guarda-roupa completamente modesto, é preciso saber das dificuldades e enfrentá-las, para não desistir no meio do caminho. Desistir no meio do caminho – quando se admite que se recorre à costureira para se vestir com modéstia – é quase sempre desistir da própria proposta de modéstia. Algumas moças cansam. E voltam a se vestir como antes, usando decotes, saias acima dos joelhos, calças… quer dizer, eu sou da opinião de que se você acha que as lojas oferecem coisas dignas de serem usadas, realmente não compensa montar um guarda-roupa na costureira. Só acho triste que algumas moças acreditem nisso, não porque realmente acham razoável, mas porque ser de outro modo é “difícil demais.” 

2 – Quais as principais dificuldades na hora de mandar fazer uma roupa?

De nossa parte, conhecer os tecidos e o que fica mais adequado para o modelo; conhecer o próprio modelo que estamos encomendando, para saber quais os outros materiais necessários… por exemplo, uma saia de cós alto pede entretela. Uma parte considerável das profissionais não fará as peças nos seus melhores detalhes, se você não pedir. Outra coisa que as moças precisam aprender é a negociar o preço do serviço, bem como exigir reparos quando a peça não fica tão boa.

Do lado das costureiras, há também o fato de que elas atrasam os prazos de entrega e podem “errar a mão”, fazendo com que você perca tempo e dinheiro. Por isso, é preciso achar uma pessoa realmente profissional para fazer suas roupas.

3 – Como reconhecer uma boa costureira?

Não existe uma fórmula pronta. Já havíamos discutido isso numa primeira conversa sobre essa busca. De lá para cá, só posso atestar que algumas costureiras que procuram ser mais profissionais cobram realmente mais caro. Não quer dizer que a coisa seja diretamente proporcional: tanto mais cara, melhor o serviço. Só não queira também pagar muito pouco. Uma boa costureira, na minha opinião, é paciente e tem plena consciência de que está prestando um serviço. Infelizmente, há aquelas que chegam a se “ofender” se você critica um trabalho que deixa a desejar: estas não são boas.

Acho que, principalmente, cabe sondar um pouco como é a forma da costureira trabalhar. Converse e faça algumas perguntas básicas, como: tipo de máquina que ela usa [deve ser semi-profissional ou profissional], se ela trabalha com overlock [máquina indispensável para o acabamento das roupas], se bate a costura para dentro [e não somente para “fora”, como nas calças jeans]. Ela deve estar aberta às suas exigências e deve prezar pelo trabalho que faz.

Uma costureira mais profissional trabalha também com alfaiataria, isto é, blazers, tailleurs. Estas são peças difícieis de fazer, que exigem dedicação e precisão.

4 -Por que é tão difícil encontrar uma costureira boa hoje em dia?

Precisamos ter em mente que não vivemos mais nos tempos das nossas avós, onde existiam muitas costureiras, especializadas em fazer todo tipo de serviço sob medida. Quero dizer, elas até existem, mas elas estão nas indústrias, nas grifes, nas confecções. O grande problema hoje em dia é que não há a mesma demanda que antes – quando as mulheres, em grande número, encomendavam as próprias roupas. Se não há a mesma demanda, não pode haver a mesma oferta. Atualmente há um bom número de costureiras que vivem basicamente de reformas e ajustes. Daí a dificuldade de encontrar aquela profissional que tenha investido em fazer todo tipo de roupa sob medida… elas existem, sim. Mas você tem de procurar um pouco.

Leiam este artigo: Encomendar roupas em costureira não saiu de moda

5 – Afirmação 1: “Não posso me vestir com modéstia porque é muito caro encomendar as roupas.”

Vamos com calma. Primeiro, faça um cálculo honesto para descobrir quanto você costumava pagar pelas calças e camisetas. Uma calça jeans numa loja de departamento custa, em média, 60,00 ou 80,00. Uma blusa está em torno de 40,00. Se mandar fazer um vestido modesto, pode ser que pague próximo a isso, menos ou mais. Há muitas possibilidades.

6 – Afirmação 2: “Ainda assim, eu não posso pagar para encomendar os meus vestidos. É preciso ter muitas saias e vestidos modestos para variar, mas com duas calças é possível passar tranquilamente.”

Sou obrigada a concordar com isso. Já vivi épocas em que só tinha 2 calças jeans, mas não ligava muito. Variava as blusas e estava tudo ótimo. Combinava com tudo, e ninguém reparava, porque afinal, é este o uniforme do mundo e das mulheres: calça + blusa… seria até estranho que alguém comentasse. Mas, quando eu deixei de usar calça, só dispunha de 2 saias modestas e foi bem difícil. As pessoas reparam.

No entanto, essa é apenas uma fase. Também é possível variar os vestidos e as saias, fazendo combinações. O fato é que a calça nos torna anônimas e iguais a todo mundo… em contrapartida, a saia nos diferencia, e começamos a perceber que usamos a mesma saia 3 vezes por semana, mas não ligávamos quando saímos de jeans 7 dias por semana. O caso é que se você deseja se vestir com modéstia, terá de rodar muito nas lojas para achar saias e vestidos adequados, ou terá realmente de mandar fazer.

Agora, sobre não poder pagar para encomendar teus vestidos… isso realmente pode acontecer. Então, só posso dizer que a moça deve então aprender a costurar e fazer suas próprias roupas, assim como faziam as moças de antigamente, que não podiam pagar pelas modistas.

***

Eis os primeiros questionamentos! Porém, por mais que eu me esforce, será difícil contemplar a realidade de todas as moças… até porque estamos lidando com pessoas, e cada uma de nós terá algo peculiar para contar. Nesta semana, porém, tentaremos aprender juntas algumas coisas importantes… espero que depois disso, você possa ter o primeiro vestido realmente modesto! 

Fique por aqui e confira os outros posts…

Anúncios

9 comentários sobre “Indo à costureira: uma conversa inicial

  1. Muito bom o post!
    Estou ansiosa pelos próximos. Serão muito úteis!
    É muito difícil hoje conseguir roupa modesta em lojas para comprar. Quase sempre é necessário fazer ajustes. Acho que a melhor opção é mesmo encomendar a roupa.

  2. O caso é que quando começamos a nos vestir com modéstia, achamos que estamos fazendo um IMENSO favor a Deus, e portanto meio que exigimos que pelo menos as roupas venham com facilidade, esperando que um anjo enviado por Nosso Senhor desça do céu com as roupas prontas, mas isto não existe. A verdade é que mesmo quando eu estava no mundo, as roupas nunca eram exatamente como eu queria, mas como andava de uniforme(calça + blusa), não dava muito atenção a isto, e só agora é que vejo o quanto as minhas roupas não eram escolhidas de fato, e sim pegava a “melhorzinha” disponível.
    Também é muito chato chamar a atenção onde quer que vá com estas roupas, mas isto também se convive, pois não somos “intocáveis” e superiores, que ninguém nos possa dizer nada, sei que é difícil, mas no futuro nos acostumamos. O que importa é agradarmos a Deus, pois no dia do julgamento individual, isto vai parecer poeira, nada.
    Aqui em Salvador nós sabemos que a oferta de costureira é quase nula, mas encontramos uma razoável bem perto de onde moramos, que dá para mandar fazer os modelos mais básicos. Pretendo eu mesma aprender a costurar e assim fazer minhas próprias roupas!

  3. Salve Maria!

    Ai, finalmente começou, estou ansiosa pelas dicas todas \o/

    Realmente, não ter dinheiro é o que mais atrapalha no início, meu caso foi assim, eu não estava tão decidida a mudar meu guarda-roupas e estava fazendo um estágio em uma áre até nada feminina, então fiquei com minhas calças mesmo e gastando o dinheiro do estágio com roupas imodestas, quando parei de fazer o estágio que comecei me decidir, tinha comprado alguns tecidos, mas não dava mais para ir a costureira, então o jeito foi recorrer a minha costureira aqui de casa mesmo, rs, mas minha mãe é a típica costureira das reformas e o que ela aprendeu no curso de costura foi fazer calças e algumas camisas, vestido ela nunca fez…

    Eu aconselharia as moças que estão iniciando e não tem dinheiro, que comprem alguns tecidos mais em conta e tentem fazer (se tiver máquina em casa) umas saias básicas, eu fiz assim, pq os vestidos que minha mãe tentou fazer deram errado =/

    Lu, que a Santíssima Virgem te guie nessa semana bastante inspiradora!!!

    1. Muito obrigada pelas palavras de incentivo, Débora! Isso é muito importante!
      Acho que cortando um tecido bemm simples num molde, sua mãe já pode dar uns primeiros passinhos, e quem sabe providenciar os teus primeiros!
      Fique com Deus

  4. Escrevi algo assim: n teria coragem de perguntar a costureira o tipo de máquina pq eu n entendo nada kkk

    Disse tb: aqui em SJCampos, um vestido de manga longa a costureira cobra R$40, o tecido sai por uns 45 (no meu caso), então um vestido por R$85 é de graça!

    Estou fazendo assim agora, pq realmente mudar o visual é caro: compro os tecidos e depois mando fazer. Já consegui mudar o visual em 90%, isso pq meu pai me deu dinheiro o ano passado.

    Achei que fosse impossível andar de onibus com criança e saia, mas é possível sim! Ir ao parque, jogar bola, correr… É possível!!!

    *********** As postagens ficaram ótimas, estou amando!!

    1. Salve Maria! Que bom que está gostando… no caso, eu acho que compensa mandar fazer sim, especialmente quando vamos avançando no processo e encomendando roupinhas melhores… aí vemos: só dá para ter um casaco desses mandando fazer!
      Beijos

Este blog tem proteção contra comentários com conteúdo impróprio e palavras de baixo calão. Críticas só construtivas. Obrigada!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s